Volkswagen T-Cross será o SUV mais vendido do Brasil? Veja pontos fortes e fracos

 em News

Finalmente a Volkswagen entrou na briga dos SUVs compactos no Brasil. O T-Cross é o segundo produto de uma família de quatro modelos, inaugurada pelo Polo e hoje composta também pelo sedã Virtus.

A gama será completa no ano que vem, quando estreia a Tarok, picape de porte intermediário revelada durante o último Salão do Automóvel de São Paulo.

A VW pode até ter dormido no ponto, mas espera compensar o tempo perdido com um produto melhor do que a concorrência. Ainda não sabemos se o mercado vai enxergar assim, mas o CDC lista cinco virtudes (e dois defeitos) que podem determinar o futuro do T-Cross.

PONTOS FORTES:

Design

Grade com efeito tridimensional e porte imponente: T-Cross seduz pelo design

Estilo é um dos maiores diferenciais do T-Cross. Além do apelo de novidade, o carro tem personalidade, a ponto de ser diferente até dos “irmãos” Tiguan e Touareg.

Observe com atenção. Ele tem um porte parrudo e até parece maior e mais largo do que realmente é. Nem parece que é um dos menores SUVs compactos da categoria: são 4,20 metros de comprimento, 1,76 metro de largura e 1,55 metro de altura.

Detalhes como a grade com efeito tridimensional, as linhas mais retas e as lanternas unidas por uma régua fumê fazem o SUV chamar (muita) atenção. E para muita gente imagem é tudo.

Desempenho

SUV está à venda com motores 1.0 e 1.4, ambos turbinados e com injeção direta

O T-Cross é vendido apenas com motorizações turbo — assim como o Chevrolet Tracker. As versões de entrada tem o mesmo 1.0 200 TSI do Polo, que rende 128 cv com etanol e 116 cv com gasolina. O torque é de bons 20,4 kgfm.

Já as opções mais caras usam o 1.4 250 TSI de 150 cv que equipa Golf e Jetta. E você já sabe: além de bons para andar, os novos motores turbinados também são econômicos.

Espaço interno

Maior distância entre eixos da categoria faz SUV ter espaço generoso no banco de trás

Ser o menor SUV da turma poderia ser um problema e tanto para o T-Cross. Porém, o carro tem a maior distância entre eixos da categoria (2,65 m) justamente por usar a plataforma do Virtus. Sorte de quem viaja no banco de trás, que tem muito espaço para as pernas. Ah, e achou o porta-malas de 373 litros pequeno? Há um pequeno gancho atrás do encosto traseiro que muda a posição do banco para ampliar o espaço até 420 litros.

Conectividade

Central multimídia tem vários recursos e é fácil de operar

A boa navegabilidade não é a única virtude da central multimídia do SUV. Traz todas as funções principais mais outras ausentes na concorrência, como seletor de modos de condução no caso das versões 1.4. Assim como os últimos lançamentos da VW, o T-Cross tem o manual cognitivo, uma tecnologia que permite consultar informações do veículo por comandos de voz – como as assistentes pessoais dos celulares.

Equipamentos

Seis airbags são oferecidos de fábrica em todas as versões

O T-Cross é bem equipado desde a versão de entrada. Vem com seis airbags, controles de estabilidade e de tração, assistente de partida em rampa, sistema de vetorização de torque, vidros elétricos com função um-toque, sensores de estacionamento traseiros, bancos revestidos em tecido, banco do motorista com regulagem de altura, coluna de direção com ajuste de altura e profundidade, computador de bordo, ganchos Isofix para cadeirinhas, alarme, ar-condicionado manual, travas elétricas, espelhos retrovisores com regulagens elétricas, direção com assistência elétrica, rodas de liga leve aro 16 e barras longitudinais no teto.

A versão mais completa ainda traz rodas aro 17, sistema de som Beats, seletor de modos de condução e painel digital. Pode vir ainda com Park Assist, faróis full led e teto solar panorâmico.

PONTOS FRACOS:

Acabamento

Mesmo nas versões mais caras o T-Cross não preza pelo bom acabamento

A gente sabe que acabamento interno não é o ponto forte dos últimos lançamentos da Volkswagen. Mas não precisava exagerar no T-Cross. As versões de entrada (que já começam em salgados R$ 85 mil) abusam do plástico duro e monocromático, inclusive nas portas. A sensação é de estar em um carro bem mais barato.

Preço
É difícil falar de preço dos carros no Brasil. Mas a VW resolveu não posicionar o T-Cross abaixo da concorrência. Isso significa preços de R$ 84.990 a R$ 109.990. Completona, a versão de lançamento First Edition atinge R$ 126.490.

 

Veja o comercial de lançamento do Volkswagen T-Cross:

https://www.youtube.com/watch?v=cK-aZNgKKgo

Recommended Posts

Deixe um comentário