Carro de família? Estes sedãs nacionais foram esportivos como o Volkswagen Jetta GLI

 em News

Sedãs são carros confortáveis adorados por executivos bem sucedidos e famílias. Alguns modelos, porém, fogem do padrão, como o recém-lançado Volkswagen Jetta GLI. Com visual chamativo e desempenho de ponta, eles podem até não ter emplacado, mas arrebataram uma legião de fãs.

Separamos abaixo 4 bons exemplos de sedãs que, assim como a nova versão do Jetta, estão beeem longe de serem comportados. Olha só:

Fiat Tempra Stile

Tempra Stile tinha visual careta, mas motor turbo era o bicho

O Tempra não foi o primeiro carro brasileiro turbinado de fábrica (essa honra coube ao Uno Turbo), mas cavou um lugar de respeito no hall dos grandes esportivos nacionais. Produzido de 1994 a 1995, o sedã de visual chamativo tinha carroceria de duas portas e um motor 2.0 turbo de 165 cv e torque máximo de 26,5 kgfm.

Dados de fábrica indicavam aceleração de 0 a 100 km/h em 8,2 segundos e velocidade máxima de 220 km/h. Estes números, aliás, credenciaram o Tempra ao posto de carro mais rápido do Brasil naquela época.

Era um carro muito bonito, mas o mercado já dava sinais de preferência pelas quatro portas. Foi aí que surgiu o Tempra Stile, que preservava o mesmo conjunto mecânico, mas em uma embalagem mais discreta.

Chevrolet Vectra GSi

Vectra GSi tinha motor 2.0 16V e baixo coeficiente aerodinâmico

Fazer esportivos já era uma tradição da Chevrolet quando o Vectra GSi surgiu em 1993. Moderno ao extremo, o sedã tinha um motor 2.0 16V de 150 cv e 20 kgfm de torque associado ao câmbio manual de cinco marchas com engates mais curtos que os das versões GLS e CD. Tinha um visual discreto com rodas exclusivas de 15 polegadas, saias laterais e um pequeno aerofólio embutido na tampa do porta-malas. Pena que o Vectra esportivo não durou muito, já que o sucessor veio em 1996 sem uma versão GSi.

Fiat Marea Turbo

Marea tinha 182 cv e um desempenho impressionante: 227 km/h de velocidade máxima!

Se o Tempra Turbo já havia assombrado o mercado nacional, o Marea Turbo conseguiu uma proeza ainda maior em 1998. O motor 2.0 de 20 válvulas recebeu uma turbina Garrett T28 que transformava o comportamento do sedã a partir de 3.000 rpm. Resultado: 182 cv a 6.000 rpm e torque máximo de 27 kgfm a 2.750 rpm.  A Fiat dizia que o Marea acelerava de 0 a 100 km/h em 8 segundos e a velocidade máxima declarada era de 227 km/h. Era preciso braço (e coragem) para domá-lo em situações extremas, já que a única assistência eletrônica estava nos freios ABS.  Uma leve reestilização mudou o estilo da traseira em 2001, permanecendo assim até sair de linha em 2007.

Honda Civic Si

Civic Si tinha 192 cv, mas o VTEC “girador” era empolgação na certa

A 8ª geração do Civic empolgou por dois motivos: o estilo ousado e a versão Si. O sedã vendido de 2007 a 2011 tinha um motor 2.0 aspirado com 192 cv e 19,2 kgfm de torque, que “se transformava a partir de 6.000 rpm graças ao comportamento do duplo comando de válvulas variável i-VTEC.  O ronco do motor também mudava radicalmente e invadia a cabine sem cerimônia, parecendo até o de um carro de competição. Já o estilo nem era tão radical, mas nem por isso decepcionava com bancos dianteiros do tipo concha revestidos em camurça, rodas exclusivas e um discreto aerofólio.

Recommended Posts

Deixe um comentário