A história da Hyundai N, divisão esportiva que fez um “Golf GTI coreano”

 em News

Não há como contestar a qualidade dos carros coreanos. Se no passado eles eram motivo de piada (assim como alguns chineses são atualmente), hoje eles se firmaram com modelos bem construídos, bonitos e bem equipados. Mas ainda falta um degrau para que Hyundai e Kia consigam peitar as marcas alemãs: fazer esportivos de verdade.

Foi por isso que nasceu a Hyundai N. Assim como as divisões alemãs, a empresa nasceu das pistas de competição. Em 2012, a marca anunciou seu retorno às provas de rali (de onde havia se retirado em 2003) e revelou o novo i20 WRC durante o Salão de Paris, em setembro daquele ano. Três meses depois foi inaugurada a Hyundai Motorsport, empresa com sede na Alemanha responsável por todas as atividades de automobilismo da marca pelo mundo.

i20 foi o modelo escolhido para marcar o retorno da Hyundai ao WRC

No ano seguinte, a Hyundai revelou a versão definitiva do i20 WRC em março de 2013 e inaugurou o Centro Técnico Europeu dentro de Nürburgring Nordschleife, mítico autódromo alemão utilizado por várias montadoras para realizar testes. A estreia oficial da Hyundai N no Campeonato Mundial de Rali aconteceu em 2014 e conquistou sua primeira vitória justamente na Alemanha. O saldo da temporada de estreia foi positivo, com quatro pódios e a quarta colocação geral na classificação.

A Hyundai nunca escondeu a inspiração nas tradicionais preparadoras europeias. Daí veio a ideia de contratar Albert Biermann para o cargo de vice-presidente executivo da Hyundai N. O alemão tinha mais de 30 anos de experiência na BMW e seis à frente da BMW M, onde foi responsável por projetos como o M5 F10 e as gerações mais recentes de M3 e M4. Ou seja, era a pessoa certa para comandar a empresa.

Carrão de videogame e o “Golf GTI coreano”

N 2025 nasceu para ser uma das máquinas do game Gran Turismo

A divisão N só sairia das pistas para as ruas a partir de 2014. Antes disso, porém, a marca escolheu o mundo virtual para fazer sua estreia. O N 2025 Vision Gran Turismo foi desenvolvido à pedido da Polyphony, desenvolvedora da série de simuladores de corrida Gran Turismo. O hiperesportivo movido a célula de hidrogênio tem 884 cv e quatro motores elétricos alimentados por células de combustível e supercapacitores.

Em 2016, a Hyundai revelou os conceitos RM 16 no Salão de Busan e RN 30 no Salão de Paris. Foram eles que deram origem posteriormente às versões esportivas de Veloster e i30. O hatch, aliás, participou de uma prova de fogo antes de ganhar as ruas: completar as 24 horas de Nürburgring, na Alemanha.

O i30 N surgiu oficialmente em 2017 com um motor 2.0 turbo de 250 cv e 36 kgfm de torque máximo. Bom lembrar que estes números são superiores aos do Golf GTI vendido no Brasil, que entrega 230 cv e 35,7 kgfm. O hatch tem tração dianteira e câmbio manual de seis marchas.

Quase um Golf GTI, só que mais potente: este é o i30 N

Se equipado com o pacote Performance, a potência do i30 N saltas para 275 cv e o carro vai de 0 a 100 km/h em 6,1 segundos — 0,3 segundo mais rápido do que o modelo original.

O hatch oferece cinco modos de condução (Eco, Normal, Sport, Sport N e N Custom), sendo que todos alteram as respostas do acelerador, amortecedores, o sistema de controle de estabilidade, o diferencial com autoblocante eletrônico, o sistema de escape e o sistema de sincronização de marchas.

Design tipicamente alemão tem linhas sóbrias e detalhes de bom gosto

Já o design poderia ser facilmente confundido com o de um hatch alemão pela sobriedade e elegância das linhas. Veja detalhes como o difusor traseiro com saída dupla de escapamento e o acabamento interno com couro, tecido e camurça.

i30 N tem acabamento de boa qualidade e câmbio manual

Ronquinho (e desempenho) de esportivo ele tem!

A segunda geração do controverso Veloster ganhou uma versão N em 2018, equipada com o mesmo motor 2.0 de 275 cv. O “cupê de três portas” segue a receita clássica do bom esportivo com câmbio manual, amortecedores adaptativos, diferencial de deslizamento limitado e sincronizador de rotações do câmbio e do motor em reduções de marcha – fazendo o chamado “punta tacco eletrônico”.

As três portas estão lá, mas o desempenho… quanta diferença!

Opcionalmente, o Veloster N pode vir com rodas de 19 polegadas com pneus Pirelli PZero Trofeo R (feitos especialmente para a Hyundai N) e freios de 345 mm na dianteira e 315 mm na traseira.

A última novidade foi o i30 N Fastback, que, como o próprio nome diz, é uma versão fastback baseada no i30. O mercado brasileiro, porém, ainda está fora dos planos da Hyundai N – embora rumores indiquem que o Creta pode ser o primeiro modelo brasileiro com pedigree esportivo.

Design ficou menos rebuscado, mas ainda divide opiniões

Ainda é cedo para dizer se a divisão da Hyundai repetirá o sucesso de sua “musa inspiradora” BMW M. Por enquanto, a letra “M” vem antes da “N” tanto no dicionário quanto no mundo dos carros. Mas quem sabe essa ordem pode mudar?

 

Recommended Posts

Deixe um comentário